Inicial Executivo Legislativo Judiciário Lojas Contato
 
 
CONCEITO DE FAMÍLIA NO CONTEXTO DA MAÇONARIA
 
CONCEITO DE FAMÍLIA NO CONTEXTO DA MAÇONARIA

Ao longo dos tempos o conceito de família vem mudando de acordo com os acontecimentos e interesses coletivos. Nesse início de século, essas alterações apontam para uma família com alto grau de complexidade.

No que diz respeito a estabilidade, percebemos que alguns problemas acentuam a crise em que a família brasileira se encontra: o alto índice de migrações, separações conjugais, dissolução de vínculos entre pais e filhos, ausência de jurisprudência nas relações, a ausência dos pais na relação cotidiana, a falta de equilíbrio financeiro.

No que diz respeito a composição da família o que percebe-se é que os arranjos internos já são referência em grande parte das comunidades familiares. Lares sem a presença dos pais e quando existem podem não ser biológicos, mães que sozinhas são responsáveis pela subsistência da família, avós que cuidam dos netos e parentes e agregados que se aliam as famílias e passam a fazer parte da mesma.

A Família desempenha um papel decisivo na formação da sociedade por meio da edificação dos valores morais e intelectuais.

É no espaço "família" que são absorvidos os valores éticos e humanitários e onde se aprofundam os laços de solidariedade.

O grau de convivência entre as pessoas de uma sociedade familiar é traduzida pela capacidade com que as mesmas conciliam interesses de forma participativa em todos os níveis: nos problemas sociais, financeiros, relacionais e estruturais. Para tanto se faz necessário que algumas regras sejam respeitadas e algumas lições sejam aprendidas, como: Não agredir o semelhante, saber comunicar-se, saber interagir, decidir em grupo, se cuidar e cuidar dos outros, cuidar do lugar onde se vive e valorizar o saber social.

O exercício dessas práticas na convivência fortalece o compromisso e orienta o comportamento humano.

Para a Maçonaria, a família é o Núcleo da Sociedade e precisa ser respeitada e consolidada.

A família é para a Maçonaria a célula da humanidade. Quem não tem condições morais para ser um bom chefe de família, não pode ser maçom.

Quando não se devota ao lar, quando não se preocupa com a família, o Maçom é considerado um traidor, porque está transgredindo os compromissos que fez, está renegando os sagrados compromissos assumidos.

Sendo assim: Todo Maçom está sob constante vigilância da sua consciência e dos demais Maçons. O maçom que vier a saber que um Irmão afastou-se do cumprimento do dever para com sua família, é obrigado a comunicar o fato à Loja, para que sejam tomadas as devidas providências.
 

VAURÉLIO DA SILVA CHUVA
Membro da Loja Maçônica Estrela do Araguaia 1770
São Miguel do Araguaia - GO
 

Cultural
 

Abel Tolentino - Secretário Estadual de Comunicação e Informática